Espiritismo e Psiquê




6 de mar de 2012

Hugo Gonçalves


     Em 2009, quando me mudei para Londrina, logo comecei a frequentar o meio espírita para estudar, e um nome sempre voltava a ser por mim escutado: Paizinho. "Você conhece o paizinho? O Sr. Hugo de Cambé?" E eu sempre respondia "não, acabei de me mudar".
     Várias pessoas me diziam que ele era muito importante para o Espiritismo na região, e que ele tem esse apelido, paizinho, porque foi pai de muitas meninas. Pois bem, como sou muito curiosa, resolvi tentar descobrir mais informações.
     Como era amiga da funcionária da biblioteca do centro que frequentava, ela me disse para ler o livro Abnegado Servidor. Comecei a ler e não conseguia parar, pois a história do Sr. Hugo de Cambé é fascinante; logo depois li O Homem que se lembra do Sermão da Montanha, que também conta sua história.
     É uma história de vida que me marcou muito, e dou graças a Deus pela divina providência enviar até nós pessoas com imensa luz, que vivem em uma humildade incrível e conseguem viver como verdadeiros cristãos, um exemplo a ser seguido.
     Para seguir os ensinamentos do Cristo não é necessário dinheiro, diploma universitário ou algumas horas por semana. O que se precisa é aplicar Seus conhecimentos na vida, cotidianamente, e, é claro, disciplina, amor e trabalho, muito trabalho. A vida do paizinho transborda desses exemplos.
     Em um sábado à tarde, eu e meu marido decidimos ir ao Shopping, quando no caminho ele me disse: "quer ir para Cambé ver o Centro Espírita do Sr. Hugo?" E eu respondi que sim, havia lido dois livros que contavam sua história, seria muito bom ir até lá.
     Quando chegamos, por volta das 14h, o Centro Espírita Allan Kardec estava com as portas fechadas; mesmo assim descemos do carro e fomos "dar uma olhada". Uma mulher meio apressada passou e perguntou: "quer conhecer lá dentro?" - E lá fomos nós.
     Na entrada, para minha felicidade, vi quadros de várias personalidades espíritas sobre quem havia lido recentemente. A mulher adentrou o salão principal e nos levou atrás do palco. Ao abrir uma porta, levei um susto, eu, que pensava que não havia viva alma no Centro, me deparo com uma sala lotada de pessoas estudando o Livro dos Espíritos.
Todos foram muito simpáticos, nos sentamos e aproveitamos para estudar um pouco. Na saída, aquele salão, antes vazio, já estava lotado de famílias em busca de cesta básica. A dirigente do estudo nos disse para aguardar um pouco, pois ela queria conversar com a gente, e assim esperamos.
     Passados uns cinco minutos, ela retornou e nos disse: "venham aqui comigo". Descemos uma escada e logo entramos em uma casinha de madeira, que fica no mesmo terreno do Centro, quando vi estava na cozinha do Sr. Hugo, com ele sentado à mesa. A dirigente disse: "este é Sr. Hugo!" - Ficamos totalmente sem ação, pois em nenhum momento havíamos falado dele.
     Para resumir a história, passamos a tarde tomando café e comendo lanche com o paizinho, que  simpático contava suas histórias de vida e, é claro, declarando o amor que tem pela esposa (que já se encontra no plano maior).
     Fui embora de lá extasiada, ler o livro sobre sua vida me fez conhecê-lo, mas estar com ele foi um aprendizado marcante para sempre fixado no meu coração! Escrever sobre este dia me deixa muito emocionada!
     Quem quiser conhecê-lo precisa ir até o estado do Paraná, na cidade de Cambé, na quarta-feira à noite ele sempre está presente na palestra pública no Centro Espírita Allan Kardec. Mas não demorem, pois o Sr. Hugo já está com 99 anos de pura felicidade!!!
        Abaixo, deixo o link do site O Consolador para quem quiser saber mais da biografia do paizinho.
    

4 comentários:

  1. Amei! Seu Hugo é uma lenda viva...Adorei Juzinha! Bj

    ResponderExcluir
  2. EU AMO SR HUGO MEU GDE AMIGO

    ResponderExcluir
  3. sou de São Paulo conheci seu Hugo em Uberada ele chegou com o povo de Cambé, no Centro do Bacceli para receber mensagem da esposa e recebeu, tive a oportunidade de abraçá-lo,abçs,

    ResponderExcluir