Espiritismo e Psiquê




25 de mar de 2010

Joanna de Ângelis


Alguns nomes para sempre serão lembrados como verdadeiros missionários no Espiritismo.


Aqui em especial cito o do médium baiano Divaldo Pereira Franco, que dedica sua vida a levar palavras de consolo e esclarecimento a muitos encarnados, através de suas palestras e livros psicografados.


Assim como Chico Xavier durante sua vida teve o amparo e orientação espiritual do espírito Emmanuel, Divaldo tem o espírito de Joanna de Ângelis, trabalhadora do bem que possui como uma de suas características a sensilidade acerca do comportamento humano.


Seus livros apresentam esclarecimento profundo sobre a origem do sofrimento humano, o funcionamento da mente, aplicação da lei de causa e efeito nas doenças de origem psíquica, dentre outros.


Houve um tempo em que dizia em tom de brincadeira que minha psicóloga era Joanna de Ângelis (apesar de sentir isso uma verdade). Tenho especial carinho a essa "dupla", pois o trabalho que realizam em muito me ajuda em momentos de dificuldades e me fez ver o quanto somos responsáveis por nossos atos e pela nossa própria felicidade.


Cabe ressaltar que suas obras atualmente não são somente lidas no meio espírita, muitos alunos de psicologia, assim como psicólogos (não espíritas), têm estudado a sua obra.


Para melhor conhecimento de quem foi e de quem é Joanna de Ângelis, coloco abaixo um texto retirado do site da Mansão do Caminho.


Joanna de Ângelis

A nobre Mentora Joanna de Ângelis vem despertando nossos Espíritos para os compromissos assumidos na Espiritualidade.

É um Espírito que se caracteriza pela sabedoria e pelo amor. A sua mensagem tem esclarecido e consolado milhares de criaturas em várias partes do mundo. É a abnegada coordenadora de todo o abençoado trabalho do médium Divaldo Franco. Sempre sob a sua orientação os livros continuam a ser psicografados pelas mãos abençoadas e perseverantes do médium, iluminando corações.

Um Espírito Amigo. Assim ela assinou durante vários anos as suas mensagens.

Em 1964, publicou, com o pseudônimo de Joanna de Ângelis, o primeiro livro que se intitulou Messe de Amor, início de importante série para leitura e esclarecimento indispensável para todos.

O Espírito Joanna de Ângelis, até a presente data, já escreveu 60 livros, todos psicografados por Divaldo Franco.

No livro O Evangelho Segundo o Espiritismo, há duas significativas mensagens do Espírito Joanna de Ângelis. A primeira recebida em Havre e a segunda em Bordéus, ambas no ano de 1862, assinadas: Um Espírito Amigo.

Vale a pena recordar, ainda que palidamente, suas reencarnações anteriores:

Na época de Jesus, foi Joana de Cusa, esposa de importante autoridade romana, e já naquela época seguiu os ensinamentos do Mestre Jesus.

“Quando, séculos depois, Francisco de Assis, o Pobrezinho de Deus, o Sol de Assis, reorganiza o Exército de Amor do Rei Galileu, ela também se candidata a viver com ele a simplicidade do Evangelho de Jesus, que tudo ama e compreende, entoando a canção da fraternidade universal.”

No México, foi Sóror Juana Inez de La Cruz, jovem que contribuiu para a valorização dos estudos, inclusive para as mulheres daquela época. “Defende, também, o direito da mulher inteligente e capaz de lecionar e pregar livremente”.

Sóror Joana Angélica de Jesus nasceu na cidade do Salvador, no Estado da Bahia, a 11 de dezembro de 1761. Aos 21 anos de idade ingressou no Convento da Lapa, fazendo profissão de Irmã das Religiosas Reformadas de Nossa Senhora da Conceição da Lapa .

Como abadessa do Convento da Lapa, em Salvador, Sóror Joana Angélica de Jesus defendeu heroicamente suas irmãs e foi sacrificada na porta de entrada do mosteiro, a golpes de baioneta, quando tentava impedir que soldados fiéis ao Império invadissem o Convento, durante as lutas pela Independência do Brasil, no dia 20 de fevereiro de 1823.

Ao desencarnar, proferiu essas palavras que bem lhe definem a grandeza do Espírito decidido, diante do soldado que a traspassou covardemente com a baioneta: - " Esta passagem está guardada pelo meu peito e não passarás senão sobre o cadáver de uma mulher".

No Mundo Espiritual, sob o pseudônimo de Joanna de Ângelis e através da mediunidade de Divaldo Franco, vem contribuindo para o engrandecimento do ser humano, de forma relevante, como Emissária do Senhor, na obra de recristianização da humanidade.

Da Colméia de Amor que é a Mansão do Caminho, à obra imensa de seus livros, através da mediunidade abnegada de Divaldo Franco, este iluminado Espírito vem acendendo luzes, vencendo trevas, amparando vidas.

Na simpática Obra "A Veneranda Joanna de Ângelis", de Celeste Santos e Divaldo Franco, vamos conhecer o relato das vidas da Mentora Espiritual nas personalidades de Joana de Cusa, Juana Inés de Asbaje, (Sóror Juana Inés de la Cruz) e na sua última encarnação, como Sóror Joana Angêlica de Jesus.

Joanna de Ângelis como:



Nenhum comentário:

Postar um comentário